sábado, 22 de novembro de 2008

Esquecidos da Vida

Ingredientes
6 gemas de ovos
2 ovos inteiros
500 grs. de açúcar
500 grs. de farinha de trigo
1 colher de chá de fermento em pó
Modo de Preparo
Batem-se durante 10 minutos com a batedeira as gemas, o açúcar e os ovos. Junte, depois, pouco a pouco e batendo sempre, a farinha previamente misturada com o fermento. Com uma colher de sopa tiram-se bocados desta massa que se vão dispondo em tabuleiros untados e cozem-se em forno de calor moderado. Despredem-se ainda quente e depois de frios conservam-se em caixas de folha.

(Doce Português)

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Chutney

Chutney


Chef Debora Cordeiro

O chutney é uma geléia cremosa, encorpada, brilhante, apimentada e agridoce, que faz lembrar a misteriosa Índia. Sua culinária exótica, temperada com ingredientes fortes, condimentados e perfumados, é apreciada no mundo todo. Os ingleses, na época da colonização, apossaram-se de suas receitas e as difundiram. É excelente acompanhamento de muitas aves, como peru, e carnes, principalmente rosbife ou carneiro. Pode-se comprar bons chutneys já prontos, mas os feitos em casa são incomparáveis.
Mango Chutney
2 kg de manga Adem sem fibras e maduras ao ponto
6 bananas prata ou d’água grandes
1 xícara de chá de suco de laranja
300g de açúcar mascavo
200g de açúcar cristal
100g de uvas-passas brancas sem sementes
1 colher de sopa de sementinhas de mostarda
1 cebola grande ralada
2 dentes de alho bem socados
1 colher de café de cúrcuma
1 colher de café de noz-moscada ralada na hora
1 colher de café de cravo da Índia moído na hora
1 colher de chá rasa de (curry) pó de caril
1 colher de café de pimenta-do-reino moída na hora
1 colher de café de cominho moído na hora
1 colher de café de canela em pó (de boa qualidade)
1 pedaço grande de gengibre ralado (1 colher de sopa)
vinagre de maçã
sal

1ª Etapa: Descasque as mangas e as bananas, corte em pedaços regulares, junte a cebola e o alho, coloque no processador de alimentos. Bata até que as frutas desmanchem e formem uma pasta. Acrescente então todos os outros temperos, inclusive o gengibre, os dois açúcares, três quartos de xícara de vinagre e o suco de laranja. Depois de obter perfeita pasta, transfira para uma panela grande e grossa.
2ª Etapa: Leve a panela ao fogo, junte as passas picadas ao meio e vá mexendo com colher de pau, até obter uma espécie de geléia de boa consistência. Durante o cozimento, tempere com sal, prove o vinagre – se necessário, pode adicionar um pouco mais, mas tome o cuidado de não deixar o chutney ficar com o sabor muito forte de vinagre. Continue o cozimento em fogo, sem parar de mexer, até obter uma pasta tipo geléia e um pouco mais apurada. O ponto principal é que o chutney tenha, depois de pronto, intenso brilho. Estando pronto, retire do fogo, deixe esfriar e conserve em potes próprios com tampa, esterilizados e hermeticamente fechados.

CHUTNEY DE PAPAIA, ABACAXI E MANGA
2 abacaxis de bom tamanho e bem doces
2 papaias pequenos maduros ao ponto
2 maçãs ácidas
4 mangas sem fibras (de preferência Adem)
2 a 3 bananas prata ou d’água
3 a 4 talos de erva doce
1 colher de sopa de sementes de mostarda
1 a 2 pimentas malagueta ou de cheiro
500 g de açúcar mascavo
1 cebola grande picadinha
2 a 3 talos de erva cidreira (capim santo)
gengibre fresco ralado
2 dentes de alho socados
1 colher de café de sementes de coentro
1 colher de chá pó de caril (curry)
1 colher de chá de canela em pó
2 colheres de sopa de mel de abelha
vinagre de maçã ou outro balsâmico
sal

1ª Etapa: Descasque separadamente os abacaxis, as maçãs, as bananas, as mangas e os papaias. Corte todas as frutas em pedaços regulares, junte o gengibre, o mel, o alho, a cebola, o fenóquio e os talos de erva cidreira superpicadinhos. Coloque no processador de alimentos e bata até que se transforme em pasta, uma verdadeira miscelânea. Feito isso, junte o restante dos temperos, assim como uma xícara de chá de vinagre, tempere com sal, bata bem e coloque em uma panela ou tacho pequeno.
2ª Etapa: Coloque a panela no fogo, junte o açúcar e vá mexendo com colher de pau, até que o açúcar fique totalmente dissolvido. Diminua o fogo e, sempre mexendo, deixe ferver brandamente. Com fogo baixo, continue a mexer até obter geléia bem cremosa e brilhante. Mais uma vez prove cuidadosamente o chutney para ter mais certeza do ponto do açúcar, do sal e do vinagre, pois tudo deve resultar em perfeita sintonia. Estando pronto, retire do fogo, deixe esfriar e guarde em potes esterilizados e hermeticamente fechados.

CHUTNEY DE TOMATE E PIMENTÃO VERMELHO
1kg de tomates maduros próprios para molho
1/2 kg de tomatinhos-cereja
½ kg de tomates pêra não muito maduros
8 pimentões vermelhos grandes sem pele e sem semente
400g de açúcar cristal
1 colher de chá rasa de páprica doce
1 colher de chá rasa de páprica picante
2 colheres de sopa cheias de puro purê de tomate
6 a 8 dentes de alho
1 cebola grande picada
1 folha de louro
1 cenoura média amarrada com raminhos de tomilho, sálvia, alecrim e hortelã ou manjericão
sal
2 colheres de sopa de azeite de oliva
100g de uvas-passas brancas sem sementes cortadas ao meio
1 xícara de vinagre
1 pedaço regular de gengibre fresco ralado

1ª Etapa: No liqüidificador, bata gengibre, alho, cebola e as pápricas, junte azeite, vinagre e purê de tomate. Bata bem, deite numa panela e leve ao fogo brando. Junte louro e cenoura com os temperos verdes. Mexa com cuidado até evaporar o vinagre.
2ª Etapa: Com a pasta pronta e transferida para uma panela grande e grossa, adicione as três variedades de tomates já sem peles e sem sementes picadinhos. Junte os pimentões cortados em pedaços regulares e açúcar. Refogue bem, junte as passas e deixe no fogo por várias horas. Mexa sempre para tomar o ponto de geléia, prove o sal, o vinagre e demais temperos. Se o molho não estiver muito encorpado, adicione duas ou três mangas passadas no liqüidificador. Neste caso, deixe cozinhar um pouco mais até tomar o ponto. Retire os temperos verdes e a cenoura. Estando pronto, retire do fogo, deixe esfriar e guarde em potes esterilizados e hermeticamente fechados.

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Sózinho em Casa!

Amigas,
Outro dia recebi essa mensagem. Achei muito divertida e gostaria de passar para vocês. As que têm marido, cuidado!!!!

Querida,
Está tudo em ordem durante sua ausência.
Estou preparando meu próprio almoço, está dando tudo certo. Ontem fiz batata frita, ficou bom. Era preciso descascar as batatas?
Fui buscar uns brioches na padaria e quando voltei o esmalte da frigideira tinha soltado e ela estava toda derretida, inclusive o cabo. E você que me dizia que o teflon segurava qualquer coisa ...
Quanto tempo precisa pra cozinhar ovos? Já deixei eles fervendo lá duas horas, mas continuam duros que nem pedra. Bom vou aguardar um pouco mais...
Semana passada tive um contratempo cozinhando as ervilhas. Decidi esquentar a lata no microondas e ele explodiu. A lata decolou feito um foguete, atravessou o teto e acertou a filha do seu Freitas, nosso vizinho de
cima.Ela foi parar no pronto-socorro. Ainda bem que eles tinham plano de saúde.
Já aconteceu contigo de a louça suja criar mofo? Como é possível isso acontecer em tão pouco tempo? Aliás, atrás da pia tem de tudo que é bicho, daqui a pouco vai dar pra fazer um documentário e vender para a National Geographic.
Durante o último almoço eu emporcalhei o tapete persa com molho de tomate.Você sempre me dizia que mancha de molho de tomate não sai. Bobinha! Com um pouco de querosene não tive problema algum. Saiu tudinho, inclusive a cor do tapete.
A geladeira estava criando muito gelo, então tive que fazer um defrost nela. O gelo sai fácil se você raspa ele com uma espátula de pedreiro! Ficou ótimo, foi fácil e rápido, agora a geladeira não sei porque, está aquecendo. De toda forma, a carne ficou bem passada.
No mais, na última quinta-feira quando saí para o trabalho esqueci de trancar a porta. Alguém deve ter invadido nosso apartamento porque estão faltando alguns objetos de valor, inclusive aquele colar de marfim que seu bisavô trouxe da África. Mas como você sempre diz, o dinheiro não traz felicidade, e tudo que é material é efêmero... O seu guarda-roupa também está vazio, mas acho que não devem ter levado muita coisa, afinal você sempre diz que nunca tem nada pra vestir.
Beijos mil, com muito carinho, do seu querido Afonso.

PS: Sua mãe deu uma passada aqui pra ver como estavam as coisas, sofreu um infarto. O velório foi ontem à tarde, mas preferi não te contar pra não te aborrecer à toa.
Volte logo, estou com saudades...

Geléia de Jabuticaba

Lavar as jabuticabas e, numa vasilha, amassá-las com as mãos, deixando as cascas e os caroços. Cozinhar tudo em uma panela comum, mexendo com uma colher de pau. Deixer ferver por 15 minutos, para concentrar o sabor. Ainda quente, coar com uma peneira de bambu ou de plástico (a de metal irá oxidar). Levar novamente ao fogo e acrescentar o açúcar e deixar cozinhar por cerca de uma hora, mexendo sem parar, até obter uma calda consistente. Só depois de fria, a geléia ficará com a consistência gelatinosa. Caso haja a necessidade de conservá-la por um tempo maior, assim que desligar o fogo, despejar o conteúdo num frasco de vidro limpo e seco, fechar com uma tampa de metal, mergulhá-lo em uma panela cheia de água, levar ao fogo e deixar por cerca de 30 minutos. Rende 1 kg de geléia.
Receita fornecida por Cláudia Helena Dias, de Cachoeira do Campo (31-3553-1344)

sábado, 11 de outubro de 2008

Coquetel Brinca n'Areia

Brinca n'Areia

Ingredientes

3/10 de Gin
3/10 Pisang Ambom
3/10 Lime Juice
1/10 Gammel Dansk
Gotas de Clara de Ovo
Gelo Moído
Campari e Sumo de Laranja

Modo de Preparo

Batem-se todos os ingredientes no shaker excepto o Campari e o Sumo de Laranja. Verter para o copo a long-drink, mas com o Campari e o gelo moído dentro. As cores devem ficar separadas.

Decoração: banana, laranja, cerejas vermelhas e azeitonas pretas.

Autor: Joaquim Fernandes Nunes / Res.Bar Saraiva´s - Vencedor do Festival Mundial de Cocktails. Albufeira 1982

quinta-feira, 9 de outubro de 2008

12 de outubro – Dia das Crianças


O Dia das Crianças está chegando. Hoje vou sugerir cardápio para esse dia especial para a família passar com suas crianças.
Sugestão para o Dia das Crianças
- Mini Cheese Burgers com Batata Frita e refrigerante
- Mini Dogs com Fritas e refrigerante
- mini salsicha de frango
- mini hambúrguer
- batata frita
- penne ao pomodoro
- escalope de filé à parmegiana com arroz e batatas coradas
- peito de frango grelhado com arroz e purê de batata
- pedaços de frango empanados
- costeleta de porco grelhada, regada ao molho Barbecue, servida com fritas
Sobremesa
- sorvetes com caldas de chocolate, marshmellow e caramelo
- sorvete de creme com calda de chocolate e chantilly
- frutas da estação
- tortinha de chocolate com sorvete de creme
- brigadeiros - beijinhos-doces
Bebida: pode trocar o refrigerante por suco ou milk-shake - nos sabores chocolate, creme, flocos, morango e coco.

domingo, 5 de outubro de 2008

A idade de ser feliz!

A IDADE DE SER FELIZ

Mário Quintana

Existe somente uma idade para a gente ser feliz, somente uma época na vida de cada pessoa em que é possível sonhar e fazer planos e ter energia bastante para realizá-los a despeito de todas as dificuldades e obstáculos.
Uma só idade para a gente se encantar com a vida e viver apaixonadamente e desfrutar tudo com toda intensidade sem medo nem culpa de sentir prazer.
Fase dourada em que a gente pode criar e recriar a vida à nossa própria imagem e semelhança e vestir-se com todas as cores e experimentar todos os sabores e entregar-se a todos os amores sem preconceito nem pudor.
Tempo de entusiasmo e coragem em que todo desafio é mais um convite à luta que a gente enfrenta com toda disposição de tentar algo NOVO, de NOVO e de NOVO, e quantas vezes for preciso.

Essa idade tão fugaz na vida da gente chama-se PRESENTE e tem a duração do instante que passa.

quarta-feira, 10 de setembro de 2008

quinta-feira, 4 de setembro de 2008

Croquete de Peru

Croquete de Peru

Ingredientes

300 gr de peru assado ou cozido picado (aqueles que sobram)

60 gr de cogumelos

1 cebola picada

50 gr de presunto picado

1 copo de leite

1 folha de louro

30 gr de manteiga

45 gr de farinha de trigo

suco de 1 limão

1 colher (sopa) de salsa picada

2 gemas

creme de leite

ovo

farinha de rosca

óleo, sal e pimenta

Modo de Preparo

Frite os cogumelos com a cebola, em 15 gr de manteiga derretida. Acrescente o peru e o presunto. Derreta a manteiga restante. Adicione a farinha e cozinhe por 1 minuto. Despeje o leite temperado com o louro e deixe reduzir um pouco. Pingue suco de limão a gosto. Acrescente a salsa e os cogumelos com a carne. Quando a mistura esfriar, adicione as gemas e o creme de leite (umas 2 a 3 colheres de sopa bastam). Forme os croquetes, passe no ovo batido e na farinha de rosca e doure em bastante óleo.

Peixe recheado com laranjas e pimentão

Peixe recheado com laranjas e pimentão

Ingredientes

4 filés de linguado

Sal

Pimenta-do-reino

Recheio

1 pimentão verde picado

50 gr de farinha de rosca

casca ralada de laranja

suco de 1 laranja

rodelas de pimentão verde para decorar

fatias de laranja para decorar

Modo de Preparo

Retire a pele dos filés e tempere com sal e pimenta. Coloque os peixes sobre uma superfície plana. Misture o pimentão verde, a farinha de rosca e a metade da casca de laranja, adicionando sal e pimenta a gosto e ligando com um pouco de suco de laranja. Divida o recheio entre os filés enrole-os e prenda com palito. Coloque os filés em fôrma refratária rasa e salpique a casca da laranja restante, o sal e a pimenta-do-reino. Coloque o suco de laranja restante sobre os filés e asse em forno pré-aquecido a 180°C por mais ou menos 30 minutos ou até sentir que o peixe está amolecido. Retire os palitos e sirva decorado com as rodelas de laranja e de pimentão.

Rendimento: 4 porções

Torta Mesclada

Torta Mesclada

Ingredientes

Massa

5 ovos

2 xíc (chá) de açúcar

2 xíc (chá) de farinha de trigo com fermento peneirada

1 xíc (chá) de leite fervente

Recheio

½ lata de creme de leite

½ lata de leite condensado

½ litro de leite

2 gemas

2 colheres (rasas) de amido de milho

Calda

2 xíc (chá) de açúcar

2 xíc (chá) de água

3 colheres (sopa) de chocolate em pó

1 colher (café) de manteiga

5 colheres (sopa) de açúcar

1 colher (sopa) de leite

3 claras batidas em neve

Essência de baunilha

Modo de Preparo

Massa

Bata as claras em neve e vá juntando as gemas uma a uma. Adicione o açúcar e em seguida a farinha de trigo aos poucos e o leite. Bata bem e leve ao forno numa assadeira retangular média (no tamanho desejado. Eu uso uma média, mais ou menos de 38x25cm). Unte e forre a forma com papel alumínio ou papel manteiga. Asse em forno médio.

Recheio

Bata todos os ingredientes no liquidificador e leve ao fogo, mexendo sempre até engrossar.

Cobertura

Leve ao fogo, as 2 xícaras de açúcar em uma panela e deixe derreter até ficar marrom claro. Acrescente a água e algumas gotas de baunilha e deixe ferver até ficar bem grossa. Bata as claras em neve e depois vá derramando a calda quente sobre as claras, batendo bem até ficar um creme espesso. Cubra a torta com uma camada bem grossa desse creme. Leve ao fogo uma panela com o chocolate, 5 colheres de açúcar, a manteiga e o leite. Deixe ferver por 5 minutos, mexendo sempre. Coloque esse chocolate sobre a cobertura e, com um garfo, faça movimentos circulares. Sirva a torta bem gelada.

sexta-feira, 11 de julho de 2008

terça-feira, 8 de julho de 2008

Cavacas

Outro dia, estava fazendo umas pesquisas sobre artesanatos (mais propriamente bordados em panos xadrez), e encontrei no blog Fada do Lar (http://fairywonderland.blogspot.com) a seguinte receita que acabei não resistindo e copiei para cá:

Ingredientes
12 ovos
500 gramas de farinha de trigo
60 gr de manteiga
Ingredientes para a calda
500 gr de açúcar
2 dl de água
Modo de Preparo
Deite a farinha em um alguidar e junte os ovos que se batem até conseguir uma massa homogenea e consistente, mas não demasiado espessa. Junta-se a manteiga derretida, batendo bem para que fique bem incorporada. Na pedra-da-mesa vão-se tendendo pequenos bocados de massa, dando forma arredondada de 6 a 7 cm de diâmetro. Coloque num tabuleiro untado com manteiga e leve ao forno médio para cozer. Estando cozidas e frias prepara-se a calda de açúcar. Num tachinho leve ao fogo o açúcar e a água. Deixe ferver até fazer ponto de espadana. Tire do fogo e bata fortemente. Mergulhe as cavacas na calda e deixe secar ao ar.

quinta-feira, 26 de junho de 2008

Salada com Physalis

Ingredientes
1 laranja
2 kiwis
30 g de mirtilo
50 g de Physalis
50 g de cenoura
6 folhas de repolho roxo
3 folhas de acelga
10 g de linhaça

Modo de Preparo
Descasque as laranjas e retire a parte branca, corte em rodelas e descarte as sementes. Retire a casca dos kiwis e corte eles da mesma forma que a laranja. Lave os frutos de mirtilo os de Physalis, sendo que deve reservar 5 frutas com cálice para decorar o prato. A cenoura deve ser descascada e cortada em palito. Após cortar escalde com água quente. O repolho roxo e a acelga devem ser lavados e as folhas devem ser rasgadas. Monte a salada a seu gosto.

Doce de Maná-Cubiu em calda

Ingredientes:
30 frutos de Maná-cubiu pequenos (30 a 40 g)
½ Kg de açúcar
1 ½ litro de água
5 g de cravo da índia
10 g de erva doce
Modo de preparar:
Descasque os frutos e retire as sementes. Corte os frutos em forma de cruz, sem decepar as partes. Escalde por 15 minutos em água fervendo e depois escorra-os. Faça uma calda com água e o açúcar. Coloque os frutos e deixe ferver até a calda engrossar. Adicione os cravinhos e a erva doce e deixe ferver por um período de meia hora. Deixe esfriar e coloque na geladeira. Sirva com creme de leite.

Receita de http://www.todafruta.com.br





Pudim de graviola

Ingredientes
1 lata de leite condensado
½ medida (da lata) de polpa de graviola ou 2 graviolas pequenas
3 ovos
1 colher (sopa) de mel
Modo de Preparo

Bata no liquidificador o leite condensado, a graviola, ½ medida (da lata) de água, os ovos e o mel.Despeje numa forma para pudim untada e cozinhe em banho-maria, em forno médio (180ºC), por aproximadamente 1 hora e 30 minutos.Desenforme quando esfriar.

Rendimento: 8 a 10 porções

Receita de Maria Clara

Sopa de Fruta Pão

Ingredientes
½ colher (chá) de salsa, coentro e cebolinha picados
2 colheres (sopa) azeite de oliva
1 colher (sopa) de manteiga
pimenta vermelha, de cheiro ou malagueta a gosto
500 gramas de carne seca picadinha dessalgada
1 Kilo de fruta pão cozido na água e sal
2 tomates sem sementes picados
1 cebola ralada no ralo grosso
2 litros de água
sal a gosto
Modo de Preparo

Cozinhar a fruta pão e, bater no liquidificador com algumas conchas da água do cozimento. Reservar. Fritar a cebola na manteiga até ficar bem dourada. Juntar a carne seca e refogar bem, acrescentando o azeite e a pimenta. Mexa. Adicionar o tomate, e a metade das ervas. Deixar cozinhar por 10 minutos em fogo médio. Acrescentar a água e deixar cozinhar na pressão por 20 minutos (fogo alto). Juntar o purê e misturar bem deixar ferver mais 10 minutos. Retirar do fogo e juntar as ervas restantes. Servir quente, acompanhado de torradas.

Mousse de Cupuaçu

Ingredientes
1 lata de leite condensado (395 g)
1 lata de creme de leite (300 g)
2 envelopes de polpa de cupuaçu congelado, equivalendo a (200 g) de polpa da fruta
1 envelope de gelatina em pó sem sabor e incolor (12 g)

Modo de Preparo

Despejar o creme de leite, o leite condensado e a polpa no liquidificador. Dissolver a gelatina em 6 colheres de sopa de água gelada ou conforme instruções do fabricante. Reservar a gelatina. Ligar o liquidificador. Adicionar a gelatina aos poucos e bater até que a mistura fique homogênea. Despejar o conteúdo em uma tigela ou tacinhas e levar à geladeira até que assuma consistência. Servir gelado.

Batida de cajá

Ingredientes:
1 1/2 dose de cachaça
1 dose de suco de cajá
açúcar a gosto

Modo de Preparo:

Coloque a cachaça e o suco de cajá numa jarra. Junte açúcar a gosto e cubos de gelo. A seguir, mexa bem e sirva em copo para batida previamente gelado.

Mousse de Bacuri

Ingredientes
1/2 kg de polpa de bacuri
1 xícara de leite condensado
1 xícara de creme de leite,sem o soro
3 claras em neve.

Modo de Preparo

Bata no liquidificador o bacuri, o leite condensado e o creme de leite até ficar tudo bem misturado. Acrescente as claras batidas em nee e misture delicadamente. Coloque em 6 taças e leve para gelar.

Salada de atemoya

Ingredientes
4 atemoyas
4 limões
50 g de açúcar

Modo de Preparo

Lave 1 limão e nele corte 4 rodelas. Esprema os outros 3 limões. Lave e seque as atemoyas. Corte-as em 2. Descasque-as, retire as sementes e corte a polpa em tiras. Coloque essas tiras numa vasilha. Dissolva o açúcar no suco de limão, despeje o suco nas atemoyas e deixe macerar na geladeira por 2 horas. Distribua as atemoyas e seu suco em 4 taças com pé. Decore a borda da taça com uma rodela de limão e sirva gelado.

Rendimento: 4 porções
Preparo: 10 minutos
Maceração: 2 Horas

Receita do Chef Fernando Villas Bôas

terça-feira, 24 de junho de 2008

Figo

Figo é o fruto da figueira, originário da região do meditarrâneo, pertencente à família Moraceae. Seu formato é semelhante ao da pêra e mede entre 3 e 7 cm. Pode ser encontrado de vários tipos com tamanho, forma e cor diferentes, por exemplo, pretos, roxos, vermelhos, verdes ou amarelos. É plantado em vários países, já que se adapta em diferentes climas. Chegou ao Brasil no século XVI na bagagem dos primeiros colonizadores portugueses. Valinhos, localizado no interior de São Paulo é considerado destaque na produção de figo. O figo é altamente energético, por ser rico em açúcar. Contém vitamina C, sais minerais como potássio, cálcio e fósforo. Combate inflamações do sistema respiratório. Possui ação laxativa suave, por conter fibras solúveis. Ajuda na prevenção do câncer, devido à presença da substância benzaldeído. O figo verde é usado na produção de doces e compotas, o maduro é consumido in natura e utilizado na preparação de doces em pasta.

Amora e Framboesa

A amora é um fruto vermelho, mas pode variar segundo a espécie.Algumas amoras chegam a ficar quase preta quando estão maduras. A amora é um fruto que pode ser cultivado em todo o Brasil, pois se adapta bem a qualquer tipo de solo. A amora vem da árvore chamada amoreira original da Ásia. Possui muitas folhas que proporciona uma sombra confortável e a árvore não fica muito alta.



A framboesa é um fruto vermelho vivo que também pode ficar quase preta quando muito madura. A framboesa é um fruto de centro oco enquanto a amora é um fruto com polpa homogênea. A framboesa para ser cultivada necessita de cuidados específicos como na temperatura que não deve ser maior que 7ºC.




Alface

A alface é uma folha que tem quantidades razoáveis de vitamina A, Niacina, C e também os minerais Cálcio, Fósforo e Ferro. A vitamina A é um elemento importante para o bom funcionamento dos órgãos da visão, conserva a saúde da pele e das mucosas; a vitamina Niacina evita problemas de pele, do aparelho digestivo e do sistema nervoso; e a vitamina C dá resistência aos vasos sanguíneos, evita a fragilidade dos ossos e má formação dos dentes, age contra infecções e ajuda a cicatrizar os ferimentos. O Cálcio e o Fósforo participam da formação dos ossos e dentes, ajudam na coagulação do sangue e na construção muscular, e o Ferro contribui para a formação do sangue. Entre as muitas propriedades a alface é também considerada como ótimo calmante e remédio contra insônia. Em casos de inflamação e inchaços, faz-se aplicações tópicas de cataplasmas quentes de alface. Para compra, deve-se dar preferência às de folhas limpas, de cor brilhante e sem marcas de picadas de insetos; e para conservação, convém retirar as folhas machucadas e murchas e guardá-la na geladeira, embrulhada em saco plástico, onde conserva-se por 5 a 7 dias. Seu período de safra é de maio a novembro. 100 gramas de alface fornecem 15 calorias.

Há vários tipos de alface e entre as mais conhecidas estão:

  • Alface repolhuda: com folhas verde-escuras, tenras, lustrosas e onduladas, tem o miolo bem firme e cor amarelo-creme.
  • Alface crespa: tem folhas soltas, largas, crespas e cor verde-amarelada.
Alface romana: tem folhas mais

Pimentão

As variedades mais conhecidas são o verde, o amarelo e o vermelho. Porém existem outras variedades bastante exóticas, como o branco, roxo, azulado, preto e laranja.O pimentão é uma boa fonte de vitamina C, contendo ainda vitamina A e pequenas quantidades de Cálcio, Fósforo, Ferro e Sódio. A vitamina C dá resistência aos vasos sanguíneos, evita fragilidade dos ossos e má formação dos dentes e age contra infecções. A vitamina A é importante para a vista, auxilia o crescimento e conserva a saúde da pele e das mucosas, evitando infecções. Os sais minerais contribuem para a formação de ossos e dentes, mantém o equilíbrio interno do organismo e o vigor do sistema nervoso. Esse legume é excitante da digestão e constitui-se num bom remédio contra hemorróidas. Por todas as suas características é bom para a pele, unhas e cabelos. O pimentão, para ser de boa qualidade, deve estar maduro, firme e apresentar forma regular. Nessas condições, dentro da geladeira, pode se conservar por 2 a 3 semanas. Servido como prato principal ou como complemento em saladas, molhos ou ensopados, é muito gostoso e sempre bem recebido. Seu período de safra vai de janeiro a maio. Cem gramas de pimentão fornecem 48 calorias.

sexta-feira, 14 de março de 2008

SOPA DE FUBÁ

Ingredientes
1 kg de carne (capa de filé, peito, acém)
3 colheres (sopa) de fubá
2 colheres (sopa) de óleo
3 xícaras (chá) de água
2 ovos
2 cebolas

Modo de Preparo
Pique a cebola e doure-a no óleo. Acrescente a carne cortada em pedaços pequenos, deixando fritar um pouco. Cubra com água e deixe cozinhar. Quando a carne estiver cozida, coe e reserve o caldo. Desmanche o fubá em um pouco de água fria, leve ao fogo brando e acrescente o caldo de carne. Quando ferver, acrescente os ovos, mexendo sempre. Deixe engrossar e sirva quente.

Sopa de cebola

Ingredientes
8 xícaras de chá de água
1/2 xícara de chá de arroz lavado
2 colheres de sopa de azeite
5 batatas médias em cubos
1 cebola média em cubos
Sal
Modo de Preparo
Refogue a cebola no azeite com sal até dourar. Acrescente os demais ingredientes e cozinhe por 30 minutos. Sirva bem quente com pão.

Rendimento : 8 porções

Sopa com Tofu e 7 Sabores

Segundo o sensei Yukio Kawai, que entende muito de culinária japonesa, este era um prato muito consumido pelos camponeses na Era Edo, época dos samurais. Chef Kawai, 54 anos, natural de Aomori, não fala português (sua mulher ajuda na tradução), mas está no Brasil há 6 anos e dá aulas para profissionais e amadores. Ele realmente trata a culinária japonesa como arte. Conhece a história dos alimentos, tem um arsenal de mais de 50 facas e dá muitas dicas interessantes enquanto prepara este prato. Trata-se de pedaços de tofu, servidos em uma tigela com caldo e com vários acompanhamentos, os 7 sabores do título: gergelim, nori, gengibre, cebolinha, pimenta 7 sabores (pó), katsuo bushi e momiji.

Ingredientes –
2 tofus (de 1/2 kg cada)

Preparo
Corte um tofu ao meio, na horizontal, e faça de cada metade cinco pedaços (cinco postas servem uma pessoa). Repita o processo com o outro tofu

Para acompanhamento (7 sabores):
2 colheres (sopa) gergelim branco
1/2 xícara (chá) de nori picado
1 colher (sopa) de gengibre ralado
1/2 xícara (sopa) de cebolinha picada
Pitada (a gosto) de pimenta 7 sabores
1 envelope de katsuo bushi
1 colher (sopa) momiji (mistura de nabo, cenoura e pimenta vermelha ralados)

Modo de preparo de cada item

Preparo do gergelim
Torre o gergelim em uma panela e amasse delicadamente com uma faca. Separe.

Preparo do gengibre ralado
Descasque o gengibre com uma colher (evita o desperdício) e com um ralador deitado, rale a raiz de forma circular, no sentido horário. Tire o excesso de água. Separe.

Preparo da cebolinha:
Tire as pontas e a parte branca e corte em rodelinhas bem fininhas. Lave em uma peneira para não deixar cheiro forte. Separe.

Preparo do momiji:
Descasque o nabo, tire um pouco do miolo e coloque a pimenta vermelha no orifício. Passe no ralador, de forma circular, sentido horário (assim fica bem ralado). Rale a cenoura da mesma forma que o nabo e misture apertando com o talher, ou com os dedos, para eliminar o excesso de água. Separe.

Caldo de kombu
1 litro de água
2 sardinhas defumadas
2 pacotes de katsuo bushi

Preparo
Em uma panela, coloque a água e, quando levantar fervura, acrescente os ingredientes e cozinhe por aproximadamente 5 minutos. Apague o fogo e deixe o caldo esfriar. Separe. (Se ao final sobrar caldo de kombu, faça missoshiru.)

Caldo da sopa
Dica: faça porção individual
6 colheres (sopa) de saquê mirim
9 colheres (sopa) de caldo de kombu
1/2 copo de shoyu

Preparo
Em uma panela, coloque os ingredientes e deixe ferver por cerca de 2 minutos.

Cozinhar o tofu:
Dica: faça porção individual
Preparo
Coloque 10 cm de kombu e um copo de água. Quando levantar fervura, acrescente cinco postas de tofu e deixe cozinhar por cerca de 5 minutos.

Serve 4 Pessoas

SOPA DE CEBOLA AO PORTO

Ingredientes
½ kg de cebolas
60 gr de manteiga
1 colher (sopa) de farinha
1 litro de caldo de carne ou de galinha
1 taça de vinho branco seco
1 taça de vinho do Porto
sal
pimenta
100 gr de queijo ralado
algumas torradas
Modo de Preparo
Picar as cebolas e, em uma panela, dourá-las na manteiga, junto com a farinha (colocada aos poucos). Juntar o caldo e o vinho branco, sal e a pimenta. Deixe cozinhar por 30 minutos. Em uma sopeira, colocar o vinho do Porto, as torradas em camadas e um pouco de queijo ralado. Cobrir com a sopa peneirada, acrescentar o resto do queijo e gratinar. Decorar com uma torrada no momento de servir.

SOPA DE TOMATE

Ingredientes
1 kg de tomates bem maduros
1 cebola grande
2 colheres (sopa) de manteiga
sal
2 litros de água

Modo de Preparo
Coloque água numa panela, juntamente com os tomates inteiros, a cebola cortada em 4 partes, a manteiga e o sal. Deixe ferver até que os tomates fiquem bem moles. Tire do fogo e deixe esfriar. Depois, passe tudo no liquidificador de modo que fique muito bem batido. Passe tudo por uma peneira bem fina. Se necessário, faça isso duas vezes. Se você servir a sopa fria, corte ovos cozidos bem miúdos, salsa, cebolinha, pão torrado e frito no azeite, tudo para ser adicionado ao gosto de cada um. Para servir quente, coloque na sopa, na hora de servir, ovos quentes ou fritos na manteiga.

SOPA INTELIGENTE DE VEGETAIS

Ingredientes
6 colheres (sopa) de azeite de oliva
1 xícara (chá) de cebola branca picadinha
1 xícara (chá) de cenoura raladinha
1 xícara (chá) de salsão batidinho
4 claras de ovos
2 litros de água filtrada
4 colheres (sopa) de polpa peneirada de tomates
250 gr de macarrão para sopa, conchinha ou padre-nosso
4 gemas de ovos
4 fatias, bem delicadas e elegantes, de queijo fresco
sal e parmesão ralado, a gosto

Modo de Preparo
Numa caçarola de no mínimo 3 litros, aqueça o azeite e murche a cebola, a cenoura e o salsão. Retire da chama. Adicione as claras. Com uma colher de madeira, vire e revire tudo até que as claras se impregnem completamente nos vegetais (Clarificação). O calor natural dos vegetais se encarregará de começar a endurecer a clara ao redor dos pedacinhos. Mexa por 3 minutos. Despeje a água. Leve à fervura. Abaixe o fogo ao mínimo possível. Cozinhe, até reduzir o caldo à metade do seu volume original. Acrescente a polpa de tomates e a deixe dissolver completamente. Retire do fogo. Filtre o caldo, num pano limpo, até eliminar todos os sólidos de seu corpo e até obter um líquido bem transparente. Reaqueça o caldo. Acerte o ponto do sal. No caldo, cozinhe o macarrão até o justo momento “al dente”. Sirva cada porção com uma gema, crua, mais uma fatia elegante de queijo fresco e mais o parmesão ralado, espalhado a gosto.

SOPA POLONESA (Czarnina)

Ingredientes
1 pato
6 colheres (sopa) de farinha de trigo
2 tabletes de caldo de galinha
Pimenta-do-reino, louro, manjerona
Salsinha, cebolinha, alho, água, vinagre, Sal, açúcar
Modo de Preparo
O procedimento é o mesmo para o preparo da galinha ao molho pardo. No caso, corte a jugular do pato e vire a ave de cabeça para baixo para que o sangue escorra numa tigela. Adicione, a gosto, um pouco de água e vinagre. A função do vinagre é não deixar o sangue talhar. Reserve. Pique a carne em pedaços e tempere a gosto com sal, alho e pimenta-do-reino. Coloque em uma panela com água e deixe ferver até ficar macia. Acrescente o caldo de galinha (deixe dissolver), o louro, o sal e a manjerona. Desligue o fogo e reserve esse caldo. À parte, bata, com um garfo, o sangue reservado na tigela com a farinha de trigo e o açúcar a gosto. Coloque água fria para diluir bem a mistura. Transfira para uma panela, leve ao fogo e adicione umas 3 conchas do caldo. Mexa bem, abaixe o fogo e coloque o restante, sempre mexendo para o sangue não talhar. Ferva durante 15 minutos. No final, salpique a salsinha e a cebolinha picadas. A Czarnina pode ser servida acompanhada de batata-doce cozida e massa fresca, ou caseira, de macarrão.

Rendimento: (para 10 pessoas)

SOPAS

Hoje venho falar das sopas.Vocês já repararam que as sopas sumiram dos cardápios profissionais ou mesmo os domésticos? Hoje em dia, não se abre mais os jantares com as sopas que sempre encantavam as refeições brasileiras de trinta, quarenta ou cinqüenta anos atrás. Porque será que elas desapareceram de nossos cardápios?

Mesmo assim, vou insistir e trazer até vocês algumas dessas sopas deliciosas, que caem muito bem com esse tempo chuvoso que está fazendo atualmente no Brasil.

domingo, 9 de março de 2008

Ovo de Páscoa Crocante (outra receita)

Ingredientes:

1kg de cobertura de chocolate ao leite derretido conforme instruções da embalagem ou veja no final desta receita.
100g de amêndoas torradas e picadas (pode substituir por flocos de arroz)

Modo de Preparo:

Coloque o chocolate derretido em uma vasilha. Junte as amêndoas e misture com a espátula.
Despeje uma concha de chocolate em cada metade de três formas (250g cada), próprias para ovos de Páscoa. Gire as fôrmas, espalhando bem o chocolate derretido e deixando escorrer o excesso. Com uma faca, raspe as bordas, para dar acabamento. Cubra as fôrmas preenchidas com papel manteiga e leve a geladeira por 20 minutos. Retire as fôrmas e faça uma segunda camada para evitar que o ovo se quebre quando pronto. A espessura ideal é de 0,5cm.
Retire os ovos das fôrmas, recheie com bombons, balas, mini brinquedos... Use sua criatividade! Junte as duas metades e embrulhe.

Para Derreter o Chocolate:

Leve uma fôrma (tabuleiro) com água para ferver ( para fazer banho-maria). Desligue o fogo e, em cima, coloque uma vasilha refratária com o chocolate picado dentro. Mexa com uma colher de pau até o chocolate derreter. Cuide para que não caia água dentro do chocolate. Despeje o chocolate derretido em cima de uma superfície lisa e fria (de pedra) para dar o choque térmico. Misture com uma espátula até obter a consistência de mel e amornar. Passe para um refratário para melhor manipular.

Alguns chocolates (hidrogenados) não necessitam de choque térmico.

Culinarista: Mauro Rebelo

Ovo de Páscoa crocante

Ingredientes
500g de chocolate ao leite
1 e 1/2 xícara (chá) de castanha de caju triturada

Modo de Preparo

Leve ao fogo uma panela com água até o meio, deixe levantar fervura e tire do fogo. Coloque uma tigela que caiba dentro da panela, de forma que não entre água. Na tigela, coloque o chocolate ao leite picado e com uma colher, vá mexendo até derreter. Retire da panela e seque a tigela por fora para que não fique água. Derrame o chocolate sobre a pia seca e com uma espátula, vá mexendo o chocolate até que esfrie, mas sem que endureça, ou que esteja em temperatura que não queime os lábios. Com a espátula, coloque novamente na tigela e misture a castanha. Pegue uma fôrma de ovo de páscoa de 500g, e faça uma camada de chocolate com o auxílio de uma colher. Leve à geladeira por 5 minutos, faça uma outra camada, leve à geladeira novamente por mais 5 minutos e repita a operação por mais uma vez. Com o chocolate que sobrar, faça bombons colocando em forminhas próprias, e leve à geladeira por 10 minutos. Retire da geladeira tanto o ovo quanto os bombons e vire em uma mesa forrada com papel-alumínio. Deixe suar por 2 horas ou até secar. Embrulhe em papel-chumbo as partes do ovo e os bombons. Embrulhe o ovo em papel decorado e amarre com laço de fita.

Tempo de preparo: 3h (+20min de descanso)

Rendimento: 1 ovo de 500 gr

Culinarista: Mirian Soro

Ovo de Páscoa para diabético

Ingredientes

Ovo
500 g de chocolate diet (sem açúcar) ao leite
100 g de proteína de soja texturizada torrada
50 g de amêndoas sem pele, torradas e moídas grosseiramente

Recheio
100 g de frutas mistas desidratadas

Montagem:
2 formas para ovo de Páscoa médias

Modo de Fazer:

Raspar o chocolate com uma faca serrilhada. Colocar em uma vasilha e derreter em banho - maria. Apagar o fogo e mexer com uma colher de pau até obter uma consistência homogênea. Espalhar o chocolate derretido sobre pedra - mármore, com ajuda de uma espátula, movimentando-o constantemente até a massa ficar morna. Colocar em uma vasilha e juntar a proteína de soja texturizada e as amêndoas. Misturar bem até obter uma massa homogênea.

Montagem: Verificar se as fôrmas estão secas e sem resíduos de gordura. Com as costas de uma concha pequena, aplicar uma camada fina da massa de chocolate em todo o interior de cada fôrma. Levar à geladeira por 5 minutos. Retirar da geladeira e aplicar uma segunda camada da massa de chocolate. Repetir esse procedimento mais 3 vezes. Engrossar as bordas com uma camada extra de chocolate, evitando que o ovo quebre ao desenformar. Deixar secar por 12 horas. Retirar da forma e embrulhar cada parte em papel laminado colorido. Rechear com as frutas desidratadas, fechar o ovo e embrulhar com papel celofane.

Rendimento : 2 ovos de 325 g cada
Valor calórico: 762,5 Kcal / banda do ovo (metade de 1 ovo).

Substituir 1/4 de uma banda do ovo por 1 porção de leite + 1 porção de gordura.

Fonte: Departamento de Nutrição da Sociedade Brasileira de Diabetes - coordenação 2004/2005 .

Páscoa

Chegamos a mais uma festa que é comemorada pelo mundo afora e muito aguardada pelos gulosos por um chocolate. Antes de apresentar algumas receitas relacionadas ao tema, vamos saber o que significa a Páscoa e como ela é simbolizada.
PÁSCOA

A Páscoa é uma das datas comemorativas mais importantes entre as culturas ocidentais. A origem desta comemoração remonta muitos séculos atrás. O termo “Páscoa” tem uma origem religiosa que vem do latim Pascae. Na Grécia Antiga, este termo também é encontrado como Paska. Porém sua origem mais remota é entre os hebreus, onde aparece o termo Pesach, cujo significado é passagem.

A páscoa judaica (Pesach), que ocorre 163 dias antes do início do ano judaico, foi instituída na epoca de Moisés, uma festa comemorativa feita a Deus em agradecimento à libertação do povo de Israel escravizado por Farao, Rei do Egito, também está relacionada com a passagem dos hebreus pelo Mar Vermelho, onde liderados por Moises, fugiram do Egito. Nesta data, os judeus fazem e comem o matzá (pão sem fermento) para lembrar a rápida fuga do Egito, quando não sobrou tempo para fermentar o pão.

Esta data não é a mesma da Páscoa Juliana e Gregoriana.

O dia da Páscoa cristã, que marca a ressurreição de Cristo, de acordo com o decreto do papa Gregório XIII (Ugo Boncampagni, 1502-1585), Inter Gravissimas em 24.02.1582, seguindo o primeiro concílio de Nicéia de 325 d.C., convocado pelo imperador romano Constantino, é o primeiro domingo depois da Lua Cheia que ocorre no dia ou depois de 21 março (equinócio de outono no hemisfério sul). Entretanto, a data da Lua Cheia não é a real, mas a definida nas Tabelas Eclesiásticas, que, sem levar totalmente em conta o movimento complexo da Lua, podia ser calculada facilmente, e está próxima da lua real. Entre os cristãos, a semana anterior à Páscoa é considerada como Semana Santa. Esta semana tem início no Domingo de Ramos que marca a entrada de Jesus na cidade de Jerusalém.

A Quarta-Feira de Cinzas ocorre 46 dias antes da Páscoa e, portanto, a Terça-Feira de carnaval ocorre 47 dias antes da Páscoa.

A PÁSCOA E SEUS SÍMBOLOS

1 - OVOS DE PÁSCOA = De todos os símbolos, o ovo de páscoa é o mais esperado pelas crianças. Nas culturas pagãs, o ovo trazia a idéia de começo de vida. Os povos costumavam presentear os amigos com ovos, desejando-lhes boa sorte. Os chineses já costumavam distribuir ovos coloridos entre amigos, na primavera, como referência à renovação da vida. Existem muitas lendas sobre os ovos. A mais conhecida é a dos persas: eles acreditavam que a terra havia caído de um ovo gigante e, por este motivo, os ovos tornaram-se sagrados.Os cristãos primitivos do oriente foram os primeiros a dar ovos coloridos na Páscoa simbolizando a ressurreição, o nascimento para uma nova vida. Nos países da Europa costumava-se escrever mensagens e datas nos ovos e doá-los aos amigos. Em outros, como na Alemanha, o costume era presentear as crianças. Na Armênia decoravam ovos ocos com figuras de Jesus, Nossa Senhora e outras figuras religiosas.Pintar ovos com cores da primavera, para celebrar a páscoa, foi adotado pelos cristãos, nos século XVIII. A igreja doava aos fiéis os ovos bentos.
A substituição dos ovos cozidos e pintados por ovos de chocolate, pode ser justificada pela proibição do consumo de carne animal, por alguns cristãos, no período da quaresma. A versão mais aceita é a de que o surgimento da indústria do chocolate, em 1830, na Inglaterra, fez o consumo de ovos de chocolate aumentar.

2 – COELHO = O coelho é um mamífero roedor que passa boa parte do tempo comendo. Ele tem pêlo bem fofinho e se alimenta de cenouras e vegetais. O coelho precisa mastigar bem os alimentos, para evitar que seus dentes cresçam sem parar. Por sua grande fecundidade, o coelho tornou-se o símbolo mais popular da Páscoa. É que ele simboliza a Igreja que, pelo poder de cristo, é fecunda em sua missão de propagar a palavra de Deus a todos os povos

3 – CORDEIRO = O cordeiro é o símbolo mais antigo da Páscoa, é o símbolo da aliança feita entre deus e o povo judeu na páscoa da antiga lei. No Antigo Testamento, a Páscoa era celebrada com os pães ázimos (sem fermento) e com o sacrifício de um cordeiro como recordação do grande feito de Deus em prol de seu povo: a libertação da escravidão do Egito. Assim o povo de Israel celebrava a libertação e a aliança de Deus com seu povo. Moisés, escolhido por Deus para libertar o povo judeu da escravidão dos faraós, comemorou a passagem para a liberdade, imolando um cordeiro. Para os cristãos, o cordeiro é o próprio Jesus, Cordeiro de Deus, que foi sacrificado na cruz pelos nossos pecados, e cujo sangue nos redimiu: "morrendo, destruiu nossa morte, e ressuscitando, restituiu-nos a vida". É a nova Aliança de Deus realizada por Seu Filho, agora não só com um povo, mas com todos os povos.

4 – CÍRIO PASCAL = É uma grande vela decorada que tem a cruz como desenho central, e que se acende na igreja, no sábado de aleluia. Significa que "Cristo é a luz dos povos". Nesta vela, estão gravadas as letras do alfabeto grego"alfa" e "ômega", que quer dizer: Deus é princípio e fim. Os algarismos do ano também são gravados no Círio Pascal. O Círio Pascal simboliza o Cristo que ressurgiu das trevas para iluminar o nosso caminho.

5 – GIRASSOL = O girassol é uma flor de cor amarela, formada por muitas pétalas, de tamanho geralmente grande. Tem esse nome porque está sempre voltado para o sol. O girassol, como símbolo da páscoa, representa a busca da luz que é Cristo Jesus e, assim como ele segue o astrorei, os cristãos buscam em Cristo o caminho, a verdade e a vida.

6 – PÃO E VINHO = O pão e o vinho, sobretudo na antiguidade, foram a comida e bebida mais comum para muitos povos. Cristo ao instituir a Eucaristia se serviu dos alimentos mais comuns para simbolizar sua presença constante entre e nas pessoas de boa vontade. Assim, o pão e o vinho simbolizam essa aliança eterna do Criador com a sua criatura e sua presença no meio de nós. Jesus já sabia que seria perseguido, preso e pregado numa cruz. Então, combinou com dois de seus amigos (discípulos), para prepararem a festa da páscoa num lugar seguro. Quando tudo estava pronto, Jesus e os outros discípulos chegaram para juntos celebrarem a ceia da páscoa. Esta foi a Última Ceia de Jesus. A instituição da Eucaristia foi feita por Jesus na Última Ceia, quando ofereceu o pão e o vinho aos seus discípulos dizendo: "Tomai e comei, este é o meu corpo... Este é o meu sangue...". O Senhor "instituiu o sacrifício eucarístico do seu Corpo e do seu Sangue para perpetuar assim o Sacrifício da Cruz ao longo dos séculos, até que volte, confiando deste modo à sua amada Esposa, a Igreja, o memorial da sua morte e ressurreição: sacramento de piedade, sinal de unidade, vínculo de caridade, banquete pascal, em que se come Cristo, em que a alma se cumula de graça e nos é dado um penhor da glória futura" [3]. A páscoa judaica lembra a passagem dos judeus pelo mar vermelho, em busca da liberdade. Hoje, comemoramos a páscoa lembrando a jornada de Jesus: vida, morte e ressurreição.

7 – COLOMBA OU POMBA PASCAL = O bolo em forma de "pomba da paz" significa a vinda do Espírito Santo. Diz a lenda que a tradição surgiu na vila de Pavia (norte da Itália), onde um confeiteiro teria presenteado o rei lombardo Albuíno com a guloseima. O soberano, por sua vez, teria poupado a cidade de uma cruel invasão graças ao agrado.

8 – SINO = Muitas igrejas possuem sinos que ficam suspensos em torres e tocam para anunciar as celebrações.O sino é um símbolo da páscoa. No domingo de páscoa, tocando festivo, os sinos anunciam com alegria a celebração da ressurreição de cristo.

9 – QUARESMA = Os 40 dias que precedem a Semana Santa são dedicados à preparação para a celebração. Na tradição judaica, havia 40 dias de resguardo do corpo em relação aos excessos, para rememorar os 40 anos passados no deserto.

10 – ÓLEOS SANTOS = Na antiguidade os lutadores e guerreiros se untavam com óleos, pois acreditavam que essas substâncias lhes davam forças. Para nós cristãos, os óleos simbolizam o Espírito Santo, aquele que nos dá força e energia para vivermos o evangelho de Jesus Cristo.

11 – VELAS = As velas são uma marca das celebrações religiosas pascais. Em certos países, os católicos apagam todas as luzes de suas igrejas na Sexta-feira da Paixão. Na véspera da Páscoa, fazem um novo fogo para acender o principal círio pascal e o utilizam para reacender todas as velas da igreja. Então, acendem suas próprias velas e as levam para casa a fim de utilizá-las em ocasiões especiais. No Sábado Santo a celebração católica é iniciada com a bênção do fogo, chamado de "fogo novo".

12 – VESTES BRANCAS = As vestes brancas usadas na celebração pascal retomam a passagem referente à transfiguração de Cristo (na qual as vestimentas de Jesus se tornaram resplandecentes de brancura.) O branco simboliza a pureza, a paz e a plenitude.

A PÁSCOA NO MUNDO

Na China

O "Ching-Ming" é uma festividade que ocorre na mesma época da Páscoa, onde são visitados os túmulos dos ancestrais e feitas oferendas, em forma de refeições e doces, para deixá-los satisfeitos com os seus descendentes.

Na Europa

As origens da Páscoa remontam a bem longe, aos antigos rituais pagãos do início da primavera (que no Hemisfério Norte inicia em março). Nestes lugares, as tradições de Páscoa incluem a decoração de ovos cozidos e as brincadeiras com os ovos de Páscoa como, por exemplo, rolá-los ladeira abaixo, onde será vencedor aquele ovo que rolar mais longe sem quebrar.

Nos países da Europa Oriental, como Ucrânia, Estônia, Lituânia e Rússia

A tradição mais forte é a decoração de ovos com os quais serão presenteados amigos e parentes. A tradição diz que, se as crianças forem bem comportadas na noite anterior ao domingo de Páscoa e deixarem um boné de tecido num lugar escondido, o coelho deixará doces e ovos coloridos nesses "ninhos".

Nos Estados Unidos

A brincadeira mais tradicional ainda é a "caça ao ovo", onde ovos de chocolate são escondidos pelo quintal ou pela casa para serem descobertos pelas crianças na manhã de Páscoa. Em algumas cidades a "caça ao ovo" é um evento da comunidade e é usada uma praça pública para esconder os ovinhos.

No Brasil e América Latina
O mais comum é as crianças montarem seus próprios ninhos de Páscoa, sejam de vime, madeira ou papelão, e enchê-los de palha ou papel picado. Os ninhos são deixados para o coelhinho colocar doces e ovinhos na madrugada de Páscoa. A "caça ao ovo" ou "caça ao cestinho" também é utilizada.